A quantidade abatida, no Estado, mês passado, foi de 507,26 mil cabeças de bovinos, registrou o Instituto de Defesa Agropecuária (Indea)

O acréscimo é de 7,68% no comparativo mensal, mas queda de 4,84% em relação a julho do ano passado. “Assim, este incremento pode estar mais atrelado ao maior número de dias úteis de julho do que de fato à maior oferta.

Os abates mais expressivos foram de machos, com alta de 16,48% em relação a junho, totalizando 309,17 mil cabeças abatidas. As regiões de destaque foram a Médio-Norte, com um aumento de 17,45%”, analisa o IMEA ( Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária).

A região Oeste de Mato Grosso teve aumento de 15,63% nos abates e a região Noroeste 8,90%. “Em meio à seca, as duas primeiras se destacam por serem as que contêm a maior quantidade de gado confinado e a terceira,por ser uma região típica de novilhas, onde está sendo observada a maior prática de semiconfinamento delas.

O abate de fêmeas, por sua vez, apresentou recuo mensal de 3,67%, puxado pela região Norte, com queda de 2,52% no período, o que justifica, inclusive, o atual menor volume de negócios desta categoria”, acrescenta o IMEA, no boletim da pecuária desta semana.

Do Portal do Agronegócio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here