A defesa da investigada de participar de um esquema de desvios de recursos públicos por meio de duplicidades de processos judiciais para liminares na área da saúde junto à Prefeitura Municipal de Sorriso, Marilei Oldoni Dias, disse hoje, em entrevista ao programa A Voz do Povo, da Rádio Sorriso FM, que sua cliente não deverá comparecer na sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal de Sorriso, na tarde desta segunda-feira (04), onde está marcada sua oitiva.

O advogado Jiuvani Leal ingressou com o que chamam de “habeas corpus” preventivo, conseguindo êxito junto à juíza Emanuelle Chiaradia Navarro em seus pedidos, na data de sexta-feira, dia 01 de julho, onde um é a presença da convocada passar de ‘obrigatória’ para ‘facultativa’, e a proibição de qualquer medida de privação de liberdade.

Apesar da presença de sua cliente ser facultativa, o defensor já adiantou que a investigada não deverá participar da sessão, alegando que esta é uma “estratégia de defesa”, e que Marilei está à disposição da investigação no Ministério Público, que também está trabalhando no caso.

O presidente da CPI, vereador Rodrigo Machado (PSDB) adiantou que a Câmara, por meio de sua assessoria jurídica, já ingressou com recurso buscando reverter a liminar em favor da investigada. “Nós realizaremos a sessão da CPI como planejado, com início às 14:30 hrs e esperamos que tanto a Marilei quanto a Samantha Nicia Rosa Chocair compareçam e falem sobre o assunto e colaborem com a investigação”, declarou.


Autor: Da Redação

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here