A Engeglobal, responsável pela execução de quatro das chamadas ‘Obras da Copa’, que deveriam ter sido entregues até 2014, passou um período de seca na gestão do ex-governador Pedro Taques (PSDB), tendo recebido apenas R$ 50 mil. Porém, agora que Mauro Mendes (DEM) assumiu o Palácio Paiaguás, a empresa de Robério Garcia, que é pai do suplente de senador Fabio Garcia (DEM), já recebeu mais de R$ 600 mil e acordou a retomada dos projetos.

Em julho de 2015, segundo o portal de transparência Mira Cidadão, a Engeglobal recebeu R$ 50 mil da gestão de Pedro Taques para construção, ampliação e recuperação de edificações públicas. Depois disto, mais nenhum centavo pingou nas contas da empresa de Robério Garcia.

Nesta semana, Robério ‘soltou os cachorros’ para cima do ex-governador Pedro Taques e afirmou que as obras para a Copa do Mundo de 2014, pelas quais a Engegloblal é responsável, não avançaram nos últimos anos por causa de perseguição política. Ele acredita que, por ser pai de Fabio, o tucano tentou atingir seu filho através dele.

Agora, com o governo do aliado de Fábio Garcia, a Engeglobal recebeu pouco mais de R$ 757 mil para a finalização das obras de mobilidade e infraestrutura urbana iniciadas para atender às demandas da Copa de 2014.

Com isto, as obras do Centro Olímpico de Treinamento da Universidade Federal de Mato Grosso (COT DA UFMT) e a revitalização do Córrego da 8 de Abril foram retomadas. O Centro Oficial de Treinamento (COT) do Pari, localizado em Várzea Grande, também deverá ter o retorno em suas obras, mas posteriormente.

O único projeto que deixou de ser tocado pela Engeglobal foi o da ampliação e revitalização do Aeroporto Internacional Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá), que teve o vínculo rompido entre governo do Estado e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

“Eu fiquei quatro anos sem receber nenhum tostão e todo dia era multa, e notinha no jornal ‘pai do Fábio não termina as obras da copa’. Mudou o governo, eu continuo o mesmo, minha empresa continua a mesma, o que mudou foi o governo, agora é sério, o Mauro governa com responsabilidade e seriedade Nós temos um compromisso. A gente cumpre o prazo ou volta tudo. De nossa parte, nós vamos cumprir o prazo, o Governo tem cumprido a parte dele e eu vou cumprir a minha”, disse o empresário.

Taques rebateu

O ex-governador Pedro Taques (PSDB) rebateu o dono da Engeglobal Construções, Robério Garcia, que o acusou de perseguição política. O tucano afirmou que “os documentos que comprovam a conduta correta do Estado, na nossa administração, estão todos na Secid, e são públicos, inclusive as várias reuniões com o senhor Robério”.

Mais críticas

O secretário de Infraestrutura (Sinfra), Marcelo Padeiro, teceu críticas à gestão do ex-governador Pedro Taques (PSDB). Para ele, o tucano se preocupava apenas em multar as empresas, sem proporcionar condições para que as obras fossem ‘desempacadas’ e entregues para a população. “Não adianta ficar multando e chegar no discurso falando isto. O importante para a cidade é a obra pronta”, disse o gestor.

“Chegava no fim do mês, [governo] multava o empreiteiro porque ele não andou. Ele não tinha como ir para frente, não podia andar. A atitude que tomamos é a seguinte: queremos a obra. Demoramos para dar ordem de serviço porque chamamos a empresa e fizemos um acordo homologado na Procuradoria Geral do Estado (PGE). Fizemos adequação de planilhas, projetos e demos o prazo de conclusão, que está sendo cumprido religiosamente. Não adiantava ficar multando e chegar no discurso falando isto. O importante para a cidade, o Estado é a obra pronta”.

Por Olhar Direto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here