O ex-deputado e ex-presidente da Assembleia Legislativo de Mato Grosso, José Riva, já pagou a primeira parcela do acordo firmado com o Ministério Público para a devolução de R$ 92 milhões. O valor de R$ 15 milhões foi pago por meio de dois depósitos feitos no dia 28 de fevereiro.

Foi feito um depósito de R$ 14,1 milhões e outro no valor de R$ 900 mil. Os valores serão destinados ao Fundo do Sistema Penitenciário de Mato Grosso.

O acordo de colaboração foi homologado no dia 20 de fevereiro pelo desembargador Marcos Machado e prevê, além da devolução de R$ 92 milhões, que as condenação de Riva serão substituídas por dois  anos em prisão domiciliar, período no qual será monitorado por tornozeleira eletrônica. Depois disso, ele cumprirá um período em regime semiaberto, podendo sair de casa durante o dia e se recolher no período noturno. 

Em seu acordo de delação, Riva elencou cerca de 50 fatos de corrupção no Estado dos quais participou ou teve conhecimento durante os 20 anos em que atuou como presidente ou primeiro-secretário da Assembleia Legislativa. São citados cerca de 40 parlamentares e ex-deputados que recebia “mensalinho” e, especula-se também, que tenha envolvido dois juízes. 

O acordo homologado pelo desembargador Marcos Machado inclui 57 caixas box, contendo documentos e as declarações do colaborador sobre as supostas condutas ilícitas praticadas pela organização criminosa.  “Além desse, o colaborador complementou, em audiência de ratificação de vontade, a delação, narrando fatos ilícitos firmados pela Assembleia Legislativa, a serem objeto de apuração específica, formando-se o Anexo 58”, diz trecho do documento de 14 páginas assinado pelo desembargador Marcos Machado.


Fonte: Folhamax/Cuiabá

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here