A produção de grãos no Brasil novamente supera as previsões de boa safra, como mostram os resultados do sexto levantamento realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com estimativa de 251,9 milhões de toneladas, com variação de 4,1% sobre a safra passada e ganho de 9,9 milhões de toneladas. O anúncio foi feito nesta terça-feira, 10, em Brasília.

De acordo com órgão, as condições climáticas vêm favorecendo as lavouras de grãos nas principais regiões produtoras do Brasil. A perspectiva é que os níveis de produtividade apresentem bom desempenho nesta temporada, sobretudo para as lavouras de soja e milho que impulsionam o volume total e devem garantir mais um recorde na safra de grãos do país.

Área total

A área total, favorecida pela boa distribuição de chuvas na maioria dos estados, deve crescer 2,4%, alcançando cerca de 64,8 milhões de hectares. As culturas de primeira safra estão respondendo por 46,5 milhões de hectares ou 71,7%, enquanto que as de segunda, terceira e de inverno, por 18 milhões de hectares, o que representa 28,3%.

Soja

Para as lavouras de soja está reservada uma área 2,6% maior, com expectativa de boa produtividade. A produção estimada é de 124,2 milhões de toneladas e um acréscimo de 8%, o que confirma mais um recorde na série histórica, graças à boa distribuição de chuvas, sobretudo nos estados do Centro-Oeste, onde estão adiantadas as etapas de colheita.

A colheita avança em Mato Grosso, com aproximadamente 87% da área já colhida até o final de fevereiro e 47% em Mato Grosso do Sul, baixo desempenho por conta do atraso do plantio. Em Goiás, a colheita avança para 52%, e muitas lavouras tardias foram beneficiadas pelo bom regime de chuvas neste mês.

Na Região Sul, nas lavouras do Paraná, as chuvas ocorreram de forma regular em quase todo o ciclo dessa cultura, porém, nas últimas duas semanas, houve deficit hídrico, que pode prejudicar o rendimento das lavouras em fase de frutificação. Cerca de metade das lavouras foram colhidas apresentando ótimas produtividades e qualidade de grãos.

Milho

A produção total do milho de primeira e segunda safras é de mais de 100 milhões de toneladas, com um crescimento de 0,4% acima da safra passada, tendo como estímulo as boas cotações do cereal no mercado internacional.

estimativa de área semeada do milho primeira safra é de 4,23 milhões de hectares, 3,2% maior que o da safra 2018/2019, e a produção está estimada em 25,6 milhões de toneladas, 0,3% superior a 2018/2019.

Com relação à segunda safra, a semeadura iniciada em janeiro vem acontecendo de acordo com o avanço da colheita da soja. A área apresenta crescimento de 2,1%, tendo em vista a sua rentabilidade atual e as condições climáticas favoráveis.

Problemas climáticos na Região Sul, sobretudo no Rio Grande do Sul, prejudicaram o potencial produtivo das lavouras, o que deverá resultar em um rendimento 24,3% menor que na última safra. O processo e colheita foi iniciado em janeiro na região, somando 48% no final de fevereiro

Para o milho de terceira safra a produção estimada é de 1,16 milhão de toneladas. Esse milho, que tem sua oferta, principalmente, na região da Sealba (Sergipe, Alagoas e nordeste da Bahia), além de Pernambuco e Roraima, é produzido num calendário parecido com o do Hemisfério Norte, concentrando-se no período entre maio e junho.

Algodão

Após crescimentos significativos da área de algodão nas duas últimas safras, que também aproveita o espaço deixado pela colheita da soja, o boletim desta vez sinaliza um crescimento de menor variação, cerca de 3,3% na área, chegando a 1,7 milhão de hectares.

A produção também recorde, deve alcançar 2,85 milhões de toneladas de pluma, enquanto a destinação ao caroço chega a 4,28 milhões de toneladas, com 1,6 % de crescimento frente a safra passada.

Feijão

O feijão primeira safra, apesar de menor área semeada com acréscimo de 0,2%, ganha 6,1% na produção com a ajuda da produtividade e chega a 1,05 milhão de toneladas. A segunda safra que está em início de cultivo, deve ocupar pouco mais de 1,4 milhão de hectares, similar à safra passada. As maiores áreas estão nesse período nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso e Paraná.

Por outro lado, a safra de arroz apresenta redução de 2,4% na área cultivada, totalizando 1,6 milhão de hectares e uma produção de 10,5 milhões de toneladas, 0,8% acima da obtida em 2018/19.

Fonte: Canal Rural

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here