O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que a burocracia do funcionamento público é um dos principais motivos para muitas práticas de corrupção no Estado. Mauro disse que em 2020 o Governo irá se dedicar em simplificar os procedimentos e trazer mais eficiência a processos de licenciamento. Ele defendeu que a burocracia deve ser combatida, já que é “pai e mãe de muitos problemas”.

Na última segunda-feira (13) o governador assinou, em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e o Instituto Mato-grossense da Carne (Imac), um termo de cooperação técnica que deve reabilitar mais de oito mil produtores, que estavam embargados, e reinseri-los no mercado formal.
 
Será criada uma ferramenta tecnológica (software) que possibilitará que o produtor rural que tenha alguma área desmatada ilegalmente, e por causa disso teve seu terreno embargado, vai poder declará-la no sistema, cercar a área, e com o cercamento receberá um certificado de regularização que ele poderá apresentar aos frigoríficos para poder comercializar com eles novamente.
 
Com a aprovação da legislação ambiental em 2008, que estabelecia alguns marcos, alguns produtores que tiveram alguma irregularidade identificada acabaram bloqueados pelo próprio mercado. De acordo com o governador Mauro Mendes isso acabou criando um “mercado negro” de venda de carne, já que de alguma maneira esta carne acabou sendo vendida fora do mercado formal.
 
O governador afirmou que neste ano de 2020 sua gestão irá se esforçar para simplificar os procedimentos e combater a burocracia, que segundo ele, é a origem de muitas destas irregularidades.
 
“Nós vamos esse ano dedicar sim um capítulo muito especial à simplificação da nossa burocracia, nossa digitalização, vamos ser mais eficientes, rápidos. Precisamos licenciar com maior celeridade e cobrar com maior celeridade aqueles que porventura ousem em descumprir aquilo que for acordado pelos processos de licenciamento. Muitas vezes, a burocracia ela é pai e mãe de muitos problemas que acontecem na administração pública”.
 
Mauro avaliou que a burocracia é um dos problemas resultantes desta burocracia. Ele considera que se o Estado for eficiente, o cidadão não irá buscar a ilegalidade.
 
 “Muitas práticas de corrupção, [ocorrem] porque o cidadão entra pedindo uma licença, porque ele quer investir, gerar emprego e ajudar o estado e a economia […] e demora seis meses, um ano, dois anos e três anos. Você está empurrando esse cidadão, criando essas enormes dificuldades para que alguém apareça, como historicamente sempre aconteceu nesse país. Então se nós nos tornamos mais eficientes e mais rápidos, céleres, nós estaremos dando uma grande contribuição até para minimizar um dos grandes males que nós temos nesse país que é a prática da corrupção envolvendo o setor público e o privado”.
 
O governador ainda afirmou que esta sempre foi uma preocupação de sua gestão, andar na legalidade. Ele citou, inclusive, que até hoje nenhuma denúncia de improbidade administrativa ou corrupção surgiu contra os membros de sua equipe da época em que foi prefeito de Cuiabá.

Fonte: Olhar Direto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here