Luis Fabio Marchioro atualiza todos os dias as informações sobre Coronavírus em Sorriso, pelas redes sociais da Prefeitura Municipal

O município de Sorriso atingiu neste sábado (21) a marca de 96% de pacientes curados da COVID-19, e ainda, uma semana completa sem registrar mortes por causa da doença.

No boletim de hoje o Secretário Municipal de Saúde, Luis Fabio Marchioro, informou que o número de sorrisenses que contraíram o Coronavirus, desde o início da pandemia, é de 7.015, sendo que destes, 6.715 estão considerados curados, ou seja, 96% de sucesso no tratamento da doença.

Outro fator importante destacado pelo secretário, é que, neste sábado, dia 21, Sorriso completa uma semana sem óbito por causa da COVID-19. “Nós estamos felizes, pois cada vida salva é motivo de comemoração. E em Sorriso já são 7015 vidas salvas”, disse Luis Fabio, alertando que, mesmo com a doença sobre controle, ainda não é motivo pra relaxamento. “Nós precisamos continuar nos cuidando pois o vírus ainda está por aí e para algumas pessoas, ele é mortal”, completou.

No boletim deste sábado, são ainda 15 pessoas internadas, sendo 6 em UTI e 9 em enfermaria. A maioria dos pacientes em enfermaria estão no Hospital de Campanha, cuja manutenção do funcionamento é garantido pelo prefeito Ari Lafin, que informa que não há nenhuma intenção em paralisar o serviço de referência que o Hospital de Campanha Municipal oferece. “Temos médicos 24 horas por dia, durante todos os dias, sem parar. Medicamentos e testes à vontade, além de profissionais extremamente dedicados e preparados”, destaca o chefe do executivo municipal.  

“Infelizmente tivemos 109 pessoas que não sobreviveram ao Coronavirus nestes 8 meses, e por eles também devemos entender a gravidade desta doença causada por ele e cuidar daqueles que tem doenças crônicas, comorbidades e outras situações de fraqueza para evitarmos mortes e tristeza”, ressalvou o secretário Marchioro.

O secretário não cansa de cobrar: “Nos primeiros sintomas, procurem atendimento médico. As chances de cura são muito maiores”.

Autor: Da Redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here