Hoje a boa notícia é para quem está procurando trabalho. Isso mesmo. No momento, Sorriso apresenta um déficit de mão-de-obra. São mais de 680 vagas disponíveis nos mais variados setores, desde a construção civil, mecânica, indústria terceirizada, de vestuário, alimentação…. E se você estiverem busca de trabalho, é só procurar o Serviço Nacional de Emprego (SINE), Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Associação Comercial e Empresarial de Sorriso (ACES) e ver no que se encaixa.

Agora, esses números são o reflexo de um outro que trazem à tona o crescimento de Sorriso: nos primeiros seis meses de 2002, o Município apresentou um acréscimo de 14% no número de empresas instaladas. São 13.973 empresas ativas; 765 abertas entre 1º de janeiro a 1º de junho.

E é justamente esse saldo positivo em relação às empresas ativas o responsável pelos bons ventos em relação às vagas de trabalho: com o crescimento empresarial, automaticamente surgem novas vagas no mercado. É o que mostram aos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Nos primeiros quatro meses de 2022, Sorriso gerou 221 novas vagas de trabalho; 44% a mais do que no mesmo período de 2021, quando foram 49 novos empregos.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Oliveira, o relatório mostra o avanço do Município em todos os sentidos, inclusive para o terceiro setor, com o aumento da industrialização. “Sorriso sempre foi conhecido pela produção de grãos; contudo, nos últimos anos há também um movimento de expansão empresarial e o resultado disso são vagas de trabalho nos mais diversos setores profissionais, pois a economia movimenta como um todo”, reforça Cláudio.

O secretário frisa ainda que para auxiliar no desenvolvimento econômico, a Administração de Sorriso tem apostado em parcerias e capacitações. “O Município conta com o Centro de Atendimento Empresarial (CAE)/Sala do Empreendedor que atua em conjunto com o Sistema S, Aces e CDL; só no primeiro semestre de 2002 ofertamos quase 3 mil horas (2.972 horas no total), de formações profissionalizantes com mais de 900 participantes”, explica. Os cursos buscam contemplar as mais variadas áreas com déficit de mão-de-obra.

Segundo Cláudio, para o ano de 2022 a pasta prevê investir R$ 300 mil para fomentar as demandas relacionadas a micro e pequenos empreendedores. Desse valor, 60% é destinado para a gestão empresarial e 40% para formações profissionais. Até o fim do ano devem ser ofertados cursos profissionalizantes em 28 áreas profissionalizantes, também em parceria com o Sistema S. “Nossa intenção é fomentar o pequeno empreendedor e também dar opções para quem busca uma vaga no mercado. Hoje observamos várias empresas instaladas aqui que buscam mão-de-obra qualificada fora e queremos inserir cada vez mais sorrisenses no mercado de trabalho”, acrescenta.

E para quem busca essa mãozinha para saber como integrar uma capacitação ou informações para instalação de uma empresa, basta procurar o CAE/Sala do Emprendedor na Avenida Blumenau, das 7 às 13 horas de segunda a sexta-feira, anexo à Secretaria de Desenvolvimento Econômico. O CAE presta serviços como informações e orientações sobre registro e legalização de empresas; pesquisa de nomes e registro de marcas; pesquisas fiscais sobre os titulares, sócios e empresas; orientação sobre condição de microempreendedor e empresa de pequeno porte e informações sobre linhas de crédito. Além da equipe que atende diretamente na Secretaria, ainda há pontos de atendimento no Ganha Tempo, nos Distritos de Primavera e Boa Esperança e o atendimento itinerante que percorre as comunidades do interior.

Conforme Oliveira, o CAE também conta com o “Programa Desenvolve Sorriso”, este em parceira com a Câmara dos Dirigentes Lojistas, Associação Comercial e Empresarial de Sorriso, Sistema S, cooperativas e instituições educacionais, bancárias e demais secretarias. O Desenvolve Sorriso tem o foco em capacitações e consultorias destinadas a qualificar e ou inspirar os empreendedores a adotarem as melhores práticas de gestão, visando o crescimento e o desenvolvimento das empresas. O programa segue um ciclo com sensibilização; diagnóstico; capacitação e acompanhamento das empresas que buscam auxílio.

Outros programas como o Banco do Empreendedor e Fundo de Aval, também estão em implantação e desenvolvimento sob orientação da pasta. Dúvidas? É só ligar no 3545-8381 ou ainda no 3545-8382 das 7 às 13 horas de segunda a sexta-feira.

Autor: Assessoria de Imprensa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here