O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) negou que esteja no radar do partido qualquer intenção de lançar o ex-governador Pedro Taques (PSDB) para o Senado, caso a juíza aposentada Selma Arruda (PSL), investigada por suposto caixa 2, perca o mandato.

Wilson, que foi líder de Taques na Assembleia e secretário de Cidades, afirma que a relação com o correligionário se distanciou após o término do mandato do tucano, que ficou em terceiro lugar na eleição de outubro, quando tentou a reeleição.

“Faz muito tempo que eu não vejo, tem mais de mês que eu não falo com ele”, informou Wilson Santos. “Primeiro que se confirmar a cassação dela [Selma] em abril, ela continua exercendo o mandato e só vai ser desligada do cargo por uma decisão do TSE. O governador Pedro não tem frequentado o partido”, completou.

As supostas articulações de Taques para se lançar ao Senado na vaga de Selma circularam no início deste mês e a própria juíza aposentada chegou a comentar o assunto. Em entrevista concedida à imprensa no começo do mês de março, Selma ironizou a possibilidade de Taques tentar assumir sua vaga em caso de abertura de novas eleições.

Selma afirmou que “recebeu com certa dose de humor” a informação. De acordo com ela, Taques “não se elege para mais nada”. “Ele vai ter que dobrar os votos que ele fez como candidato a governador para ter alguma chance, se for contar como parâmetro os votos que eu fiz”, declarou.

“Eu acho que ele, coitado, infelizmente não se elege para mais nada. Inclusive, se a gente for colocar o nome dele ao lado de escândalos como o da grampolândia, como esse saco sem fundo de crise que ele largou o Estado, sua má-administração, envolvimento de parentes em crimes de toda espécie”, ironizou a parlamentar.

Fonte: Olhar Direto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here