Em um grupo de conversa no WhatsApp, com alcance nacional, o ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi (Progressistas) elogiou a decisão do presidente da República, Jair Bolsonato, em demitir Sérgio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública e Luiz Henrique Mandetta do Ministério da Saúde nos últimos dias. 

Para Maggi, se o presidente Jair Bolsonaro não exonerasse Mandetta e Moro, “o governo dele tinha acabado esta semana”. A opinião do ex-ministro foi feita no domingo, em um grupo que conta com a presença de empresários como o dono da Havan, Luciano Hang, e de ministros como Tarcísio Gomes (Infraestrutura) e Tereza Christina (Agricultura). 

Maggi ainda disse que Sérgio Moro agiu em suas decisões pensando na política. “O Moro construiu sua história sobre milhares de desempregados da Lava Jato, ruína da economia. Tudo poderia ter sido feito diferente, coibindo os ilícitos e preservando  as empresas e os empregos. Conduziu a Lava Jato com o olho na Política! Este foi seu maior pecado, felizmente este tipo de atitude tem vida curta”, criticou.

Ao fim, Blairo Maggi revela que votou em Bolsonaro, mas não é obrigado a concordar com coisas erradas que acontecem em seu Governo. “Apesar de concordar com a demissão de Moro e Mandetta, Maggi criticou o apoio irrestrito ao presidente, classificando como “mensagens ufanistas”.  “Votei no Bolsonaro, torço para que ele acerte no governo, mas não posso me calar nas coisas erradas, já ficar aplaudindo tudo quanto é “M” que o governo faz, não ajuda em nada, pelo contrário”.

Olhar Direto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here