Os 5 conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) afastados do cargo desde setembro de 2017 e investigados na Operação Malebolge, desdobramento da Operação Ararath, continuam com os salários como se não ocorresse qualquer investigação.

Além  dos salários, eles recebem férias e 13º salário. Com isso, já ultrapassam os R$ 3 milhões os valores empregados nos vencimentos dos 5 conselheiros afastados.

Antônio Joaquim, José Carlos Novelli, Sérgio Ricardo, Waldir Teis e Walter Albano já recorreram dezenas de vezes para derrubar a decisão sobre o afastamento no Supremo Tribunal Federal (STF). Eles são acusados de corrupção.

Fonte: Gazeta Digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here