O governador Mauro Mendes (DEM) lamentou ter que brigar na Justiça para garantir a recepção imediata de 50 ventiladores pulmonares. O chefe do Executivo explicou na quinta-feira (14) que parte dos equipamentos seriam instalados no Hospital Metropolitano. A questão está sendo debatida no Supremo Tribunal Federal (STF). A União reivindica posse sobre os bens, afirmando que é o Ministério da Saúde quem deve fazer a distribuição para as regiões mais atingidas pelo novo coronavírus. 

“Estamos em uma briga judicial. Nós compramos antes da pandemia. O cara não quis entregar porque vendeu para nós por um preço e agora vendeu para o Ministério da Saúde por um preço mais caro. Aí não quer entregar. O Ministério está no jogo dizendo que não é para entregar, que a prioridade é de outros lugares. Lamentavelmente nós estamos em uma briga judicial tentando garantir que entreguem”, explicou Mauro Mendes na Inauguração de novas alas do Metropolitano.

Os ventiladores foram comprados da Magnamed Tecnologia Médica S.A. Porém, foram requisitados, em caráter compulsório, pela União. O STF chegou a decidir liminarmente de forma favorável a Mato Grosso. Decisão foi suspensa após o governo comunicar tentativa de conciliação. Último capítulo do caso, Mauro Mendes voltou a se manifestar no STF requerendo o restabelecimento da liminar.

“Esses respiradores entram dentro de um estratégia de equipar este hospital (Metropolitano), abrir novos leitos, tem uma estratégia para distribuir isso dentro do estado, alguns deles seriam aqui”, finalizou Mendes, lamentando a briga judicial.

Metropolitano

Toda a obra ficou pronta em 45 dias. Os investimentos foram de aproximadamente R$16,5 milhões para reformar e ampliar a unidade hospitalar, que conta com 238 leitos clínico e 40 Unidades de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis para o tratamento de pacientes. Destes, 210 são totalmente novos, pois houve a ampliação de 180 leitos clínicos e 30 de UTI.

Fonte: Olhar Direto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here