Coronavírus — Foto: Getty images via BBC

O secretário de Saúde de Mato Grosso (SES-MT), Gilberto Figueiredo, descartou qualquer possibilidade do coronavírus ter chegado a Mato Grosso. Na noite da última quinta-feira (6), uma mulher de 34 anos foi internada no Hospital Regional de Rondonópolis (216 KM de Cuiabá), apresentando alguns dos sintomas do mal – que é semelhante a uma pneumonia. Ela esteve na Ásia nas últimas semanas, porém, ainda não há confirmação dos países que ela visitou.

Em declaração a jornalistas nesta sexta-feira (7), Gilberto Figueiredo comentou que o caso da paciente “sequer é suspeito”, tendo em vista que ela não apresentou febre desde que os primeiros sintomas começaram a surgir. Na avaliação do secretário, a mulher passa por uma simples “crise respiratória”.

“Sequer é um caso suspeito. Nossa equipe já analisou no Hospital Regional. A paciente não apresenta nenhuma das três alternativas para se tornar isso um caso de investigação. Muito provavelmente é uma crise respiratória. A paciente nunca teve febre desde o dia que chegou ao Brasil. Não teve contato com nenhum paciente que já teve confirmação de infecção pelo coronavírus. Não esteve na área de abrangência dessa contaminação”, esclareceu Gilberto Figueiredo.

O secretário também tranquilizou a população dizendo que a paciente, apesar de se encontrar em observação no Hospital Regional de Rondonópolis, deve receber alta “num futuro bem breve”. “[Os médicos] Estão apenas acompanhando. Ela esta em assistência no hospital mas num futuro bem breve terá alta. Portanto, não há nenhum motivo para a população se preocupar. Não se trata de nenhum caso suspeito de coronavírus”, garantiu Gilberto Figueiredo.

Este é o primeiro caso que se tem notícia em Mato Grosso de uma pessoa que recebeu os primeiros procedimentos médicos em virtude do receio dela estar infectada com o coronavírus.

Até a última quinta-feira, o coronavírus já havia provocado a morte de 638 pessoas no mundo, com 31.535 casos confirmados – quase todos eles na China. Informações do governo chinês revelam que 1.778 pacientes já se recuperaram da doença.

Embora não haja cura para o coronavírus, sua taxa de letalidade ainda é baixa. Os primeiros estudos sobre o mal revelam que a primeira transmissão ocorreu de animal para ser humano – e posteriormente de pessoa a pessoa. Entre os sintomas da doença estão febre, tosse, dificuldade para respirar e falta de ar.

SÍNTOMAS

Conforme o protocolo do Governo Federal, baseado nas diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), os critérios para um caso ser considerado como suspeito do vírus são:

Situação 1 – febre + pelo menos um sinal ou sintoma respiratório + histórico de viagem para área com transmissão local nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas;

Situação 2 – febre + pelo menos um sinal ou sintoma respiratório + contato próximo de caso suspeito para o novo coronavírus nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas;

Situação 3 – febre ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório + contato próximo de caso confirmado de novo coronavírus em laboratório nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas. 

Fonte: Folha Max

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here