Com a colheita da soja chegando a aproximadamente 80% no Brasil, a consultoria Safras & Mercado acredita que a partir de agora já dá para notar mais claramente o potencial produtivo da safra na temporada 2019/2020. Segundo levantamento da consultoria o país pode atingir o recorde de 124,1 milhões de toneladas, alta de 4,1% ante as 119,3 milhões de toneladas do ano anterior.

Segundo o analista da Safras Luiz Fernando Gutierrez, foram feitos ajustes importantes nas estimativas de produtividades médias dos principais estados produtores do país, em relação a fevereiro, quando a safra estimada era de 124,5 milhões de toneladas.

Começando pelo Rio Grande do Sul, que irá confirmar uma das piores quebras de safra de sua história e colher apenas 13,9 milhões de toneladas, quase 32% a menor que a safra 2018/2019, quando conseguiram a marca histórica de 20,4 milhões de toneladas.

“A maior parte das lavouras gaúchas não recebeu umidade suficiente em momentos importantes do desenvolvimento, o que derrubou o potencial produtivo das plantas do Noroeste ao Sul do estado. Salvo exceções, apenas a região Norte do estado registrou produtividades satisfatórias”, diz.

Apesar disso, os demais estados da região Sul, assim com os estados das regiões Sudeste e Centro-Oeste registram grandes produtividades médias, superando as expectativas iniciais e compensando a quebra da safra gaúcha.

O Paraná, por exemplo deve produzir 20,9 milhões de toneladas nesta safra (+23,8%), recuperando em grande estilo as perdas da última temporada quando colheram apenas 16,8 milhões de toneladas.

“O Paraná já tinha a perspectiva de produzir bem, mas com o avanço da colheita parece que conseguirão uma safra ainda maior que a prevista inicialmente.”

Mato Grosso segue disparado como maior produtor do grão e deve colher mais uma safra recorde de soja, chegando a 34,3 milhões de toneladas nesta temporada, 6,4% a mais que a anterior, que foi de 32,3 milhões de toneladas, segundo dados da consultoria.

Mato Grosso do Sul deve registrar o maior aumento de produção do país com a produção de 11,2 milhões de toneladas, surpreendentes 31,1% a mais que as 8,5 milhões de toneladas da safra do ano passado. “O estado deve conseguir uma super produtividade este ano, com um baita aumento na produção”, diz.

“Ou seja, no fim das contas o Brasil deve mesmo fechar com outra safra recorde no país e se consolidando na posição de maior produtor mundial”, afirma Gutierrez.

Autor: Canal Rural

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here