Pais de calouros do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Câmpus São Vicente, na BR-364, estão desesperados diante de situações de bullying, ameaças e até mesmo agressão física, que estariam sendo praticadas por veteranos. Documento assinado por uma enfermeira do local e obtido pela imprensa relata hematomas nos braços de um estudante, de 15 anos, que teria sido provocado por um “empurrão” na saída do refeitório.

Conforme apurou a reportagem, no segundo dia de aula, em 19 de fevereiro, seis alunos teriam praticado um trote, ritual que celebra a chegada dos novos alunos na instituição de ensino, mas acabou se tornando proibido diante de casos de violência. O trote teria funcionado da seguinte forma: os calouros seriam forçados a encher um preservativo com a boca, desenhar um rosto, esconder na mochila, colocar um nome, cuidar como um filho durante todo o dia, sob pena de punição física, caso o preservativo sofresse algum dano.

Desesperado, no fim do dia, os alunos que foram submetidos a situação se trancaram no quarto. No entanto, os veteranos acabaram forçando a porta, e com medo, um aluno abriu.  “Ao invadirem o quarto, mandaram que mostrassem as camisinhas. Teve colegas de quarto que tiveram que se ajoelhar, rezar e enterrar o preservativo. Em seguida batizavam os membros do quarto com apelidos, assim ferindo a dignidade moral”, relata um pai. 

Depois de passarem pelo “batismo”, eles seriam obrigados a fazerem tudo que os veteranos mandassem, inclusive, pedir benção. Durante o cumprimento, os veteranos davam tapas nas mãos dos calouros. Porém, um aluno que ignorou situação, foi tirado da cama e colocado contra a parede.  

Após ser comunicado da situação, o pai de um dos adolescentes foi até a instituição para falar com a direção da unidade, que se prontificou a tomar as medidas necessárias para identificar os veteranos responsáveis pelo trote, para que fosse aberta uma comissão disciplinar para punir os responsáveis.  No mesmo dia, ainda no câmpus, o pai teria sofrido uma tentativa de intimidação de um aluno, que confessou a situação, mas disse que “não daria em nada”. Afirmou ainda que seu filho poderia sofrer represálias.

Diante da situação, o pai do adolescente procurou à Delegacia de Polícia de Campo Verde para registrar boletim de ocorrência. Ele solicitou também a mudança de quarto do filho, que foi atendida no dia 25 de fevereiro. No dia seguinte, ele buscou o filho para que ele prestasse depoimento na Delegacia de Santo Antônio de Leverger. À polícia, ele declarou ter sido empurrado por um veterano. Ao levantar a camiseta, foram constatados hematomas pelo corpo do adolescente.

Conforme documento assinado por uma enfermeira da instituição, o estudante apresentava hematoma de coloração amarelada na região do ombro. No membro superior esquerdo, havia presença de dois hematomas de coloração esverdeada. Indignada, a mãe enviou vários e-mails ao Departamento de Assistência ao Discente (DAD) relatando as situações e que as providências fossem tomadas, mas nada aconteceu.

Apesar de os dormitórios de calouros e veteranos serem separados, a divisão não estaria sendo respeitada. Conforme relato do pai que costa de boletim de ocorrência, além do trote, os veteranos pediam dinheiro para comprar bebidas alcoólicas.

Outro lado

Por meio de nota, a assessoria de imprensa do IFMT disse que trotes são proibidos e combatidos na instituição. Afirmou ainda que o caso relatado foi isolado. Veja posicionamento na íntegra:

Nota de Esclarecimento

Em relação à denúncia de trote supostamente violento, a Direção-Geral do IFMT São Vicente vem esclarecer que esta prática é proibida e combatida na instituição e que há um regimento disciplinar discente que regulamenta as atividades de convivência, além de processos disciplinares para investigar e responsabilizar estudantes que não cumprem com estas regras.

Familiares do jovem que sofreu o trote foram atendidos pelo IFMT São Vicente desde o primeiro momento, que se empenhou em esclarecer o caso e punir os responsáveis. O caso relatado foi único e isolado. Um grupo pequeno de estudantes fez uma brincadeira de mal gosto com uns estudantes recém-chegados na escola, por mais que houvesse orientação explícita sobre a proibição desta prática. Imediatamente o IFMT São Vicente abriu um processo disciplinar, conversou com as famílias e puniu os cinco envolvidos, dentro da legalidade, conforme a participação no ato: advertência, suspensão e perda do alojamento.

Reforçando, a escola não tolera tais atitudes e tomou as providências cabíveis para atender as famílias tanto dos alunos que sofreram a ação como também dos que a cometeram.

Lamentamos o ocorrido e estamos trabalhando para que fatos como esse não se repitam e que os estudantes se relacionem com respeito e em uma cultura de paz.

Fonte: Olhar Direto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here