O mercado físico de boi gordo registrou preços acentuadamente mais altos nesta semana. Segundo o analista Fernando Henrique Iglesias, as altas foram consistentes na véspera do feriado da quinta-feira. Os frigoríficos seguem operando com escalas de abate encurtadas, o que leva a crer na continuidade deste movimento no curto prazo.

“A oferta de animais de safra está em seu limiar, havendo maior dependência da oferta de bois confinados para composição das escalas de abate. As exportações de carne bovina permanecem em bom nível, e seguem como motivador de altas mais consistentes no decorrer do segundo semestre, com o Brasil mantendo a posição de grande fornecedor de carne bovina em escala global”, assinalou Iglesias.

Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 17 de junho:

* São Paulo (Capital) – R$ 315,00 a arroba, ante R$ 310,00 na comparação com o dia 09, subindo 1,6%.

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 290,00 a arroba, contra R$ 275,00 (5,45%).

* Goiânia (Goiás) – R$ 305,00 a arroba, contra R$ 275,00 (10,91%).

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 300,00 a arroba, contra R$ 280,00 (+7%).

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 285,00 a arroba, ante R$ 275,00, alta de 3,64%.

Exportação

As exportações de carne bovina fresca, congelada ou refrigerada do Brasil renderam US$ 405,740 milhões em junho (8 dias úteis), com média diária de US$ 50,717 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 59,179 mil toneladas, com média diária de

7,397 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 6.856,10.

Em relação a junho de 2021, houve ganho de 46,5% no valor médio diário da exportação, aumento de 10,7% na quantidade média diária exportada e valorização de 32,2% no preço médio. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior.

Autor: Agência Safras

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here