Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, apontou a pesquisa científica como melhor caminho para definir data de plantio para produção de semente para uso próprio, em Mato Grosso. A declaração foi durante reunião com a diretoria executiva da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), produtores rurais e comunidade científica, na última quinta-feira (08.10), em Brasília.

O encontro foi provocado pela Aprosoja Mato Grosso que apresentou um dossiê completo da pesquisa científica que comprova o mês de fevereiro como melhor data de plantio para semente para uso próprio, com benefícios ambientais, fitossanitários, e econômicos, se comparado a dezembro. Conforme o presidente da entidade que representa os produtores, Antonio Galvan, o ministério se comprometeu em analisar toda documentação, bem como registros fotográficos.

“A ministra afirmou que o melhor caminho é a ciência. Nós apresentamos todos os trabalhos científicos coordenados pela Aprosoja, sob a responsabilidade do professor, PhD em fitopatologia, Erlei de Melo Reis. A nossa Pesquisa já está no segundo ano, inclusive publicada em revista científica internacional no Canadá. Também apresentamos o apoio de mais de 30 sindicatos mato-grossenses”, explicou.

A comunidade científica foi representada na reunião pelo professor, PhD em fitopatologia, Laércio Zambolim, da Universidade Federal de Viçosa e pelo professor, Fernando César Juliatti, da Universidade Federal de Uberlândia, que chancelaram a Pesquisa científica encomendada pela Aprosoja. 

“Há viabilidade técnica para produção de soja em fevereiro, com inúmeras vantagens para os produtores e ao meio ambiente. Essa calendarização tem que ser ajustada e eu estou aqui para dar todo apoio a este projeto da Aprosoja, que é nosso, de todo Brasil”, pontuou Zambolim.

“Soja no Brasil é questão de segurança nacional. E logicamente este ajuste na calendarização precisa ser feito para atender o setor produtivo que mantém esse país. Esse ajuste é importante porque não adentra ao vazio sanitário”, explanou o professor Juliatti.

Vice-presidente da Aprosoja, Fernando Cadore, lembrou que a entidade trabalha no tema com afinco, já que é uma demanda que a maioria do associado sempre cobrou. Além disso, a experiência dos produtores já atestava fevereiro como melhor data para plantio de semente para uso próprio, agora comprovada cientificamente em parceria com as universidades federais. “Buscamos as alianças científicas para validar nossa pesquisa, que foi internacionalmente publicada, atestando a viabilidade do plantio em fevereiro, se comparado a dezembro. Está mais que comprovado”, afirmou.

Produtores rurais participaram da reunião, assim como os presidentes dos Sindicatos Rurais dos municípios de Primavera do Leste, Sorriso e Sinop, Marcos Bravin, Silvano Filipeto e Ilson Redivo, respectivamente. Além disso, a reunião contou com a presença do presidente da Aprosoja Brasil, Bartolomeu Braz, presidente da Embrapa, Celso Luiz Moretti, secretário de Defesa Agropecuária (Mapa), José Guilherme, secretário Executivo (Mapa), Marcos Montes, secretário de Política Agrícola (Mapa), César Halun, e diretor de Sanidade Vegetal (Mapa), Carlos Goulart.

De Sorriso, os representantes do Sindicato Rural de Sorriso, Silvano Filipetto e Thiago Nogueira Stefanello participaram da reunião.

Autor: Da Redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here