Em entrevista coletiva realizada ontem (11), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou a suspensão das imunizações de puérperas (mulheres até 45 dias após o parto) com ou sem comorbidades com a vacina AstraZeneca/Oxford. Segundo o ministro, a suspensão imediata segue recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do mesmo modo que foi realizado com a paralisação das imunizações de gestantes.

Ainda na entrevista, Queiroga disse que gestantes que tenham recebido a primeira dose da AstraZeneca, devem aguardar as recomendações do MS para uma nova dose. O ministrou pontuou que a vacinação desse grupo deve ser realizada somente com imunizantes Sinovac/Butantan e Pfizer.

Na segunda-feira (10), a Anvisa já havia emitido uma Nota Técnica recomendando a suspensão imediata do uso da vacina Covid da AstraZeneca/Fiocruz em mulheres gestantes. De acordo com a Anvisa, a indicação da bula da vacina AstraZeneca deve ser seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). E, no caso, a bula não recomenda a imunização de gestantes. Conforme informações do Ministério da Saúde, a orientação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas Covid em uso no país.

Em relação às gestantes com comorbidades, cuja recomendação é imunizar com a Coronavac ou Pfizer, o MS alerta que estas devem comprovar a situação de risco por meio de exames, receitas, relatórios médicos e prescrição médica.

Em Sorriso, o gestor da pasta de Saúde e Saneamento de Sorriso, Luís Fábio Marchioro, pontua que, devido à recomendação a partir de hoje está suspensa a vacinação de todas as puérperas do Município, quer integrem o grupo de pessoas com comorbidades ou não. Ainda ontem, Marchioro anunciou a paralisação da aplicação de vacinas em gestantes. O fato se deve porque nesse momento o Município só conta com doses disponíveis da AstraZeneca.

Contudo, lembra Marchioro, as gestantes e puérperas do Município devem continuar preenchendo o pré-cadastro on-line disponibilizado no linkhttps://site.sorriso.mt.gov.br/covid/precadastro?l=4, pois assim que o MS enviar doses do imunizante da Coronavac, a Secretaria dará continuidade à vacinação desse público específico. Para isso, além de inserir o nome no pré-cadastro, no ato da imunização é necessário apresentar o cartão de gestante, comprovante de residência, cartão de vacina, documento com foto, e, ou CPF ou Cartão SUS.

Marchioro lembra que independente de ser imunizados ou não, a recomendação é que todos, – gestantes, puérperas e população em geral, deem continuidade às medidas protetivas não farmacológicas como o uso de máscara, distanciamento social e a higienização constante das mãos.

Da Assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here