Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a terça-feira, 12, com preços em forte alta. Os contratos romperam a barreira de US$ 14 por bushel, atingindo os melhores patamares desde o final de junho de 2014.

Os contratos da soja em grão com entrega em março fecharam com alta de 45,75 centavos de dólar por libra-peso ou 3,33% a US$ 14,18 por bushel. A posição maio teve cotação de US$ 14,13 por bushel, com ganho de 43,75 centavos ou 3,19%.

Nos subprodutos, a posição março do farelo subiu US$ 18,60 ou 4,16% a US$ 465,40 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em março fecharam a 42,63 centavos de dólar, inalterado.

O mercado, que já vinha registrando bons ganhos, foi impulsionado pelo relatório de janeiro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que confirmou o sentimento de aperto na oferta mundial da oleaginosa.

O relatório indicou que a safra norte americana de soja deverá ficar em 4,135 bilhões de bushels em 2020/21, o equivalente a 112,53 milhões de toneladas, abaixo do esperado no relatório anterior: 4,170 bilhões de bushels ou 113,5 milhões de toneladas. O mercado apostava em 4,155 bilhões ou 113,07 milhões.

Mercado físico

O mercado brasileiro de soja teve uma terça-feira de preços mistos no Brasil, regionalizados. As atenções estiveram voltadas para o relatório de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

A Bolsa de Chicago disparou, mas o dólar despencou, compensando o movimento altista da bolsa. Assim, o mercado teve ritmo de negócios calmo, com negociações apenas de lotes pontuais.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos recuou de R$ 167 para R$ 165 a saca. Na região das Missões, a cotação baixou de R$ 166 a saca para R$ 164. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 169 para R$ 171,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 164 para R$ 166 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 169 para R$ 171 a saca.

Em Rondonópolis (MT), a saca avançou de R$ 157 para R$ 159 a saca. Em Dourados (MS), a cotação subiu de R$ 155,50 para R$ 158 a saca. Em Rio Verde (GO), a saca caiu de R$ 165 para R$ 164 a saca.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão com baixa de 3,28%, sendo negociado a R$ 5,3220 para venda e a R$ 5,3200 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3190 e a máxima de R$ 5,4940.

Autor: Agência Safras

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here