Relatórios da equipe técnica da Secretaria de Saúde e Saneamento alertam para a baixa procura pela imunização contra a gripe (H1N1) no Município. No geral, somados todos os grupos, a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é imunizar 23.945 sorrisenses contra a gripe. Especificamente 19.373 dessas pessoas integram o público-alvo formado por crianças; gestantes, idoso, professores, puérperas e trabalhadores da saúde. Contudo, até o momento apenas um desses grupos alcançou e ultrapassou a meta inicial: são os professores que seguiram à risca o dever de casa e buscaram a imunização. Da meta inicial que era imunizar 1.205 profes, o Município já imunizou 1.361 educadores. Já nos demais grupos, os números estão bem abaixo da média.

“Nossa maior preocupação é com as gestantes, crianças, e idosos que ainda não alcançaram a cobertura vacinal prevista e é um público muito suscetível a contrair gripe e ter complicações”, alerta a enfermeira Kátia Dal Prá, responsável pela Sala de Vacinas. Kátia frisa a importância das famílias com bebês e crianças de seis meses a menores de 5 anos, procuraram uma unidade de saúde pra a imunização. “Reforçamos que esse é um público suscetível e é responsabilidade dos pais imunizar”, diz. De acordo com os dados desta segunda-feira (20), até o momento 3.675 crianças foram imunizadas; desse total 1.145 receberam a primeira dose. “Pais cujos filhos receberam a primeira dose, devem estar atentos para o prazo da segunda”, lembra a enfermeira.

Os números estão baixos também quando trata-se de gestantes: a meta inicial era imunizar 1.470 e até o momento apenas 932 procuraram atendimento. Em relação aos idosos, 4.309 foram imunizados quando a meta estabelecida era de 7.178. Já entre as puérperas – mulheres até 45 dias após o parto; os números são ainda mais baixos: apenas 58% (141 mulheres) do total estabelecido em 242 pacientes foi imunizado. E do total de 1.854 trabalhadores da saúde, 1.681 foram imunizados.

Para quem integra o público-alvo e ainda não buscou a imunização, Kátia aconselha a procurar a unidade de saúde mais perto de casa. Só é necessário apresentar a carteirinha de vacinação e o cartão SUS. A profissional lembra que o imunizante é ofertado nos 28  PSF’s que integram a rede municipal de saúde de segunda a sexta-feira das 7h30 às 10h30 e à tarde das 13h30 às 16h30.

Kátia alerta que a vacina está disponível para toda a lista do público-alvo estipulado pelo Ministério da Saúde que além dos citados acima, inclui ainda povos indígenas,  pessoas com comorbidades ou com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo rodoviário urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, Forças Armadas, adolescentes e jovens em medidas socioeducativas, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade.

Sarampo

Vale lembrar também que a vacina contra o sarampo está disponível tanto para os trabalhadores da saúde quanto para crianças de seis meses a menores de cinco anos (4 anos 11 meses e 29 dias). A expectativa é imunizar 7.665 crianças contra o sarampo; o mesmo número geral de pequeninos que deve ser imunizado contra a gripe e os 1.854 trabalhadores da saúde.

Autor: Da Assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here