O governador Mauro Mendes: aumento de preços em MT

A ministra Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), indeferiu o pedido do governador Mauro Mendes (DEM), que queria adiar a eleição suplementar para o Senado, marcada para 26 de abril deste ano. “O pedido do governador de Mato Grosso foi encaminhado pelo TRE-MT ao TSE e foi indeferido nesta segunda-feira (9) pela Presidência do TSE”, informou o órgão ao .

Mauro solicitou que a eleição fosse realizada apenas em outubro, juntamente com as eleições municipais. O governador argumentou que com isso haveria economicidade de recursos da Justiça Eleitoral e do governo estadual. Isso porque o Estado também gasta recursos para auxiliar o pleito eleitoral com policiamento, entre outros custos.

Além disso, o democrata alegou com o adiamento o Estado não ficaria prejudicado no Senado, pois a senadora cassada Selma Arruda (PODE) continuaria no cargo, e, caso a Mesa Diretora decrete a perda do mandato dela, Carlos Fávaro (PSD) assumiria a vaga conforme liminar do Supremo Tribunal Federal (STF). O governador citou, inclusive, que a aglomeração de pessoas durante a campanha favoreceria a proliferação do coronavírus, se tornando um problema de saúde pública no Estado.

TRE

Na última quarta (4), Mauro protocolou um pedido no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para adiar a eleição suplementar para o Senado. No entanto, o presidente do TRE, desembargador Gilberto Giraldelli, remeteu no dia seguinte o pedido para ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a quem coube decidir. Isso porque a decisão que fixou o prazo para a realização a eleição partiu do TSE. Neste caso, não ao TRE qualquer decisão neste sentido.

Fonte: Jornal a Gazeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here