O preço do etanol na Grande Cuiabá atingiu a marca dos R$ 3. O aumento foi repassado na manhã desta terça-feira (7) na maioria dos estabelecimentos, surpreendendo clientes e funcionários.

“Trabalho há 25 anos como gerente e nunca vi o etanol chegar a esse valor. O máximo que alcançou foi R$ 2,977. Não passava disso”, afirmou o gerente de um posto no Bairro Goiabeiras.

No estabelecimento, o litro do etanol estava R$ 2,87 até as 10h30 desta terça. Depois disso, bateu na casa dos R$ 3,07.

O reflexo do novo valor foi notado imediatamente. O gerente afirma que o movimento caiu consideravelmente depois que o preço foi afixado nas placas indicativas.

“Hoje está bem parado, principalmente por causa do aumento. Os clientes chegam e reclamam. Mas o que podemos fazer?”, questionou o funcionário de um posto na Avenida Miguel Sutil.

Uma das explicações para o reajuste foi a aprovação, por parte da Assembleia Legislativa, de uma lei encaminhada pelo governador Mauro Mendes (DEM) para restituir os incentivos fiscais no Estado a partir do dia 1º de janeiro.

Dentre os setores que tiveram revisão de incentivos, está o etanol. Pela legislação, o Estado poderia cobrar até 25% de Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias (ICMS) sobre o produto e estava, segundo o Executivo, cobrando 10,5%. Com a alteração da legislação, esta cobrança foi para 12,5%.

Era esperado o aumento de 4% de cerca de R$ 0,05 por litro. No entanto, os reajustes registrados no começo desta semana nos postos de combustíveis passam de R$ 0,20.

“Daqui a pouco vou precisar deixar meu carro encostado, porque está muito caro e acredito que vá aumentar ainda mais. A gasolina está quase R$ 5 e o etanol a mais de R$ 3. Isso acaba com o consumidor. E não podemos fazer nada”, reclamou o motorista Sérgio Almeida, de 57 anos.

Um gerente ouvido pela reportagem teme que o preço suba ainda mais, chegando a R$ 3,15 na sexta-feira.

Elevações

O Sindipetróleo (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis de Mato Grosso) divulgou uma nota nesta terça-feira informando que a elevação se deveu a diversos fatores além da mudança na alíquota do ICMS.

“O preço do litro do etanol tem tido reajustes em diversos Estados, mas em Mato Grosso a alta é ainda maior”, consta na nota.

“A assessoria de Comunicação do Sindicato entrou em contato com revendedores que apresentaram notas fiscais de aquisição de combustíveis juntos às distribuidoras. Somente nesta semana os reajustes em algumas distribuidoras ultrapassaram 5%. Um revendedor de Cuiabá divulgou que nas distribuidoras, os preços do litro hoje estão entre R$ 2,82 e R$ 2,87. No dia 1° os preços variaram entre R$ 2,66 a R$ 2,76”, informa a nota.

O Sindipetróleo informou ainda que outro impacto a ser considerado é a cobrança de ICMS pelo Governo através do chamado preço de pauta. “O imposto não é cobrado sobre a base do preço de produção dos combustíveis e sim sobre o preço final de comercialização à pessoa física. Nos últimos 30 dias, o preço de pauta saltou de R$ 2,65 para R$ 2,86, uma alta considerável no imposto pago independente do preço do cobrado na bomba”, disse o sindicato.

“Estas informações demonstram que os postos apenas repassam os reajustes que ocorreram por conta do aumento de impostos nas usinas e também por conta de reajustes nos demais elos da cadeia. Portanto, os postos revendedores de combustíveis, apenas repassam os reajustes e ainda assim mantém uma margem de lucro muito pequena”, conclui.

Autor: Site Midianews

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here