Uma das vozes mais influentes da Igreja Católica em Cuiabá, o padre Deusdédit Monge de Almeida criticou a maneira como o programa de humor Porta dos Fundos retratou Jesus Cristo no especial de Natal que estreou na Netflix no final de 2019. O filme insinua que Jesus teve uma experiência homossexual após passar 40 dias no deserto.

Ao MidiaNews, o religioso, responsável pela Paróquia Coração Imaculado de Maria, no Bairro CPA IV, disse que o programa desrespeitou os sentimentos dos católicos. Ele disse que o especial foi uma “blasfêmia”.

“Não podemos ridicularizar ou vilipendiar esta ou aquela crença. Inclusive, isso é um ilícito que consta na Constituição. E também é uma forma de afrontar o sentimento cristão e religioso da maioria da população cristã, seja católico ou evangélico. Nossos irmãos evangélicos também ficaram indignados. Causou indignação, tristeza. Jesus é filho de Deus, que conheceu a condição humana, menos o pecado. E lá mostra o filho de Deus em uma atitude de pecado. Não podemos aceitar isso. É uma blasfêmia, um ato sacrilíaco, que protestamos contra”, disse.

Ele, entretanto, condenou o ataque sofrido pela produtora do programa. Na madrugada de 24 de dezembro, a sede do Porta dos Fundos, no Rio de Janeiro, foi alvo de dois coquetéis molotov, que foram jogados contra a fachada do imóvel. O caso foi registrado como crime de explosão na 10ª DP (Botafogo).

“Violência sempre gera violência. Guerra chama guerra. Ódio chama ódio. Nós também protestamos e não concordamos com essa atitude radical de violência contra a produtora”, afirmou.

Ainda na entrevista, o pároco comentou sobre a atuação progressista do Papa Francisco e o recente episódio em que o pontífice dá dois tapas em uma fiel.  Ele ainda avaliou a gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e deu conselho aos fiéis que irão votar nas eleições de 2020.

Clique aqui e confira a entrevista completa!

Fonte: Site Midianews

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here