A Aprosoja Brasil vai empossar a nova diretoria na próxima terça-feira, dia 20, em uma solenidade que será transmitida ao vivo, a partir das 19h (horário de Brasília) pelo Youtube da entidade. Na ocasião, o produtor Antonio Galvan, novo presidente eleito, substituirá Bartolomeu Braz, que liderou a entidade entre 2018 e 2021.

A nova diretoria irá liderar a entidade entre 2021 e 2024 e contará com a vice-presidência de José Sismeiro, ex-presidente da Aprosoja Paraná, e representantes de 14 estados. Vale ressaltar que o evento é restrito aos integrantes da entidade, em respeito ao distanciamento social devido a pandemia de coronavírus.

A trajetória do novo presidente

Em março, a Aprosoja Brasil elegeu por aclamação os representantes para o triênio 2021/2024. Entre eles, o destaque é a nomeação do produtor rural Antonio Galvan para a presidente da entidade Nacional. Até então, ele liderava a Aprosoja Mato Grosso.

Antonio Galvan nasceu em Sananduva (RS), em 1957 e fará 64 anos este ano. Morou no Paraná por sete anos onde ele e sua família já atuavam como produtores rurais. Com formação técnica em contabilidade, chegou em Mato Grosso no ano de 1986 e atualmente é produtor rural no município de Vera, região norte do estado. Foi presidente do Sindicato Rural de Sinop, diretor da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e acompanha os trabalhos da Aprosoja MT desde a sua fundação, em 2005.

Planos de gestão aprosoja

Galvan conversou rapidamente com o Projeto Soja Brasil e falou sobre os planos à frente da Aprosoja Brasil. Indagado se manteria a linha que adotou durante sua passagem pela Aprosoja-MT, ou seja, abordando e debatendo temas que atrapalham os produtores do país, ele garantiu que irá lutar como sempre.

“A ideia é dar sequência a trabalhos que a Aprosoja Brasil já vem fazendo. Afinal, são temas já muito importantes para o setor. Mas também acrescentar outros temas que são considerados de extrema importância para o setor”, diz Galvan.

Segundo ele, uma das questões que se refere é sobre os contratos de vendas futuras, que têm dado dor de cabeça aos produtores.

“Não podemos mais admitir que em caso de problemas que fogem ao controle no campo, como excesso de chuvas ou seca, que geram quebra significativa da produção, o agricultor seja responsabilizado sozinho, com a obrigação de arcar com o contrato. O comprador precisa entender que se ele comprar uma safra não colhida, corre riscos também. Ou seja, é preciso dividir os riscos”, defende o novo presidente da Aprosoja.

Outro tema que o novo presidente pretende abordar já é um fato bastante conhecido pelos produtores de Mato Grosso: a classificação de grãos.

“Vamos retomar esse tema sobre a classificação dos grãos. Já é mais antigo, entretanto temos nossos estudos que mostraram que o grão avariado não perde qualidade, apenas a aparência é diferente. Então não há motivo para esse desconto, já que o grão é totalmente aproveitado”, afirma Galvan.

Por fim, ele prometeu ainda avaliar outras questões prioritárias para o setor e ajudar a trazer o debate à tona.

Autor: Canal Rural

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here