Instrutor técnico do Senar-MT explica como o diagnóstico eletrônico é um aliado na hora de apontar as falhas presentes no maquinário, reduzindo o tempo gasto para os reparos

A hora do plantio se aproxima e é fundamental que as máquinas estejam com o funcionamento em dia para garantir que o trabalho ocorra como o previsto. Equipamento parado no campo é sinônimo de prejuízo. E por isso é importante buscar maneiras de agilizar o reparo do maquinário, quando preciso. Como explica Miguel Rodrigues, que é tecnólogo em tecnologia eletrônica automotiva. “Ter uma máquina parada é um prejuízo gigantesco, incalculável. Então, o tempo para você fazer o atendimento nestas máquinas é muito importante. Você não dispõe de muito tempo pra fazer esta reparação. Você tem que encurtar isso e fazer de uma maneira rápida e precisa. Por isso é importante você ter uma ferramenta que consiga te proporcionar isso, um diagnóstico rápido e preciso, para a gente liberar essa máquina para ela voltar a operação o mais rápido possível”.

Na era da agricultura tecnológica, as ferramentas para este serviço também evoluíram. “A gente acompanha o avanço das máquinas desde quando elas eram mecânicas, hidráulicas, e quando foram gradativamente sendo implementadas tecnologias. Entrou um outro fator, que foi a eletrônica. Então, a gente precisa também acompanhar esta modernidade das máquinas com essas ferramentas eletrônicas para que a gente consiga fazer esse atendimento a essas máquinas modernas”, comenta Miguel.

O diagnóstico eletrônico é um exemplo. Tornou a manutenção mais rápida e eficiente. “O diagnóstico eletrônico de máquinas consiste em a gente identificar todos os erros presentes e o mal funcionamento da máquina, a gente fazer a avaliação de todos esses erros, verificar qual componente está com problemas e fazer a reparação dele e a manutenção. Significa rapidez e precisão para fazer a manutenção da máquina. Quando a máquina apresenta um defeito e ela pára, existe um tempo para você conseguir esse atendimento, seja de um prestador, seja de uma concessionária, fabricante. Então, o maior benefício para o produtor que adquire é o tempo pra ele conseguir fazer a manutenção desta máquina de uma forma mais rápida, mais precisa”, explica.

Com o aparelho conectado na máquina, as informações começam a ser transmitidas. O resultado aparece em instantes. “O tempo pra você fazer diagnóstico é muito curto. São alguns segundos até estabelecer a comunicação com a máquina. Após estabelecer a comunicação você consegue fazer a visualização dos erros da máquina, das falhas e também o estado atual de funcionamento deles, podendo também fazer manutenção preventiva além da corretiva. Ele vai transmitir todas as informações de todos os erros presentes na máquina, nos sistemas que estão equipados, como caixa automática, motor eletrônico, elevador traseiro eletrônico… todos os sistemas eletrônicos vão transmitir as informações de erros, de falhas, de estado de funcionamento para o scanner”, detalha o especialista.

O tecnólogo também atua no Senar Mato Grosso como instrutor técnico. Ou seja, capacita outros instrutores que vão ensinar os alunos nos treinamentos de campo. Trabalho conjunto que dissemina o conhecimento sobre as novas ferramentas, ajudando a otimizar a rotina nas propriedades rurais. “Nós sabemos hoje que há uma grande dificuldade de fazer atendimento nessas máquinas e que, assim como a tecnologia avançou muito rápido, o aprendizado e a capacitação também devem acompanhar essa velocidade. Então, é importante essa parceria com o Senar-MT de capacitar todos os profissionais que fazem o atendimento de manutenção para estas máquinas. Essa capacitação está incluída em todos os cursos e treinamentos de operação de máquinas do Senar-MT. É ali que você vai receber todo esse conteúdo muito mais aprofundado sobre todo esse conhecimento de diagnóstico eletrônico”, destaca.

Canal Rural MT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here