Foto: Ilustração

O Ministério da Saúde irá lançar, previsto ainda para esta semana, um chamamento para cerca de 5 mil profissionais pelo programa Mais Médicos para reforçar a capacidade de assistência em saúde durante a emergência do coronavírus. Capitais e grandes centros urbanos voltam a participar do programa, que até então vinha priorizando somente municípios de maior vulnerabilidade. A medida é em razão de serem locais com maior concentração de pessoas, o que ajuda a ampliar a circulação do coronavírus.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (9), em Brasília, durante coletiva de imprensa para atualização da situação do coronavírus no país. As inscrições estão previstas para a próxima semana e a expectativa é que os profissionais comecem a atuar em cerca de três semanas. Para o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, a medida vai fortalecer o atendimento nos postos de saúde evitandos buscas desnecessárias aos hospitais.

“A reposição de profissionais do Mais Médicos visa reforçar o atendimento nos postos de saúde, evitando a superlotação de hospitais e Unidade de Pronto Atendimento (UPAs) em um cenário de grande circulação do coronavírus no país. Os profissionais que aderirem ao programa, pelo novo edital, farão atendimento geral à população junto às equipes de Saúde da Família, principal porta de entrada do SUS”, informou o secretário-executivo, João Gabbardo, destacando que estão incluídos todos os atendimentos que fazem parte da Atenção Primária à Saúde, desde as consultas de rotina até os casos de pacientes com sintomas respiratórios.   

O novo edital não altera o cronograma estabelecido anteriormente para o programa Médicos pelo Brasil, sancionado em dezembro de 2019. Neste momento, a pasta utiliza a estrutura do programa Mais Médicos para ampliar o atendimento à população em uma situação emergencial pela circulação do coronavírus no país. Atualmente, a pasta trabalha na organização e estrutura necessárias para a criação da Agência para o Desenvolvimento da Atenção Primária à Saúde (Adaps), que será responsável pela seleção e contratação dos profissionais que atuarão no programa Médicos pelo Brasil.

SAÚDE NA HORA

Outra ação do Ministério da Saúde para ampliar ainda mais o atendimento à população na Atenção Primária é a flexibilização de um dos critérios para adesão dos municípios ao programa Saúde na Hora – que estende o horário de atendimento dos postos de saúde até às 22h ou aos finais de semana.

Agora, as unidades de saúde que contam apenas com duas equipes de Saúde da Família (ESF) também poderão aderir ao programa. Antes, as unidades precisavam ter, no mínimo, três equipes para atuar no programa. A pasta dará prioridade à homologação de municípios que possuem casos confirmados de coronavírus.

Com a medida, a população terá mais flexibilidade no acesso aos serviços ofertados nas unidades de saúde da Atenção Primária, como consultas médicas e odontológicas, coleta de exames laboratoriais, aplicação de vacinas, consultas pré-natal, triagem neonatal, entre outros procedimentos.

Como incentivo, os municípios receberão mais recursos mensais do Ministério da Saúde, dependendo da quantidade de Equipes de Saúde da Família e de Saúde Bucal, além da carga horária de atendimento das unidades, que pode variar entre 60h e 75h semanais.

Por Nicole Beraldo, da Agência Saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here