Levantamento já contabiliza os preços pagos pelos principais insumos e as taxas de juros de custeio definidas no Plano Safra 2020/2021

A lucratividade da produção de soja deve continuar bastante alta na safra 2020/2021, apesar do aumento dos custos de produção, avalia a Cogo – Inteligência em Agronegócio. O levantamento feito pela consultoria já contabiliza os preços efetivamente pagos pelos produtores na compra dos principais insumos (sementes, fertilizantes e defensivos), bem como as taxas de juros de custeio definidas no Plano Safra 2020/2021

“Os custos de produção da soja devem subir 13,2% no Sul e 6,5% na região do Cerrado. Com isso, a receita bruta deve cair 4,9% no Sul e 3,6% no Cerrado em relação à temporada anterior”, informa. “Essas diferenças se devem a fatores como o maior volume de vendas antecipadas de soja pelos sojicultores e compras de insumos mais adiantadas na região do Cerrado em relação ao Sul do país”, complementa.

A margem bruta estimada para a safra de soja 2020/2021, representada pelo Ebitda, deve seguir em níveis elevados em ambas regiões, projetada em 55,4% no Sul e em 33% no Cerrado, ante 59,7% e 35,8% registrados, respectivamente, na safra 2019/2020.

Por Canal Rural

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here