Consumidores se assustaram com preços do arroz e óleo de cozinha nas prateleiras. (Imagem: Reprodução)

Quem está mais atento aos preços nos supermercados, já percebeu que nos últimos dias houve aumento expressivo do óleo de cozinha e do arroz. A explicação vem do início da cadeia: na produção. É o que aponta o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA/INPC), divulgado nesta quarta-feira (9/9) pelo Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo os atacarejos, o preço para exportação do óleo subiu, então produtores estão preferindo exportar e está fazendo falta no consumo interno. Isso porque o preço para fora está melhor que o preço interno.

Já em relação ao arroz, produtores alegam que o preço [de produção] está muito alto”.

Em nota, a Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz) informa que “nos últimos 25 dias, observou-se uma alta de mais de 30% no custo da matéria-prima, além do reajuste já ocorrido em decorrência do aumento da demanda no início da pandemia.

Os preços praticados ultrapassaram em 290% o valor do preço mínimo estabelecido pelo governo federal. Vale ainda destacar que a matéria-prima representa parte expressiva do preço de venda do arroz, o que reflete sobremaneira no preço final ao consumidor.

O fato é que todas as explicações, os valores praticados sofreram diversos impactos provocados pela pandemia do novo coronavírus.

Da Redação com detalhamento de Midia Max e Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here