Foto: Divulgação Fischer Frutas

De onde vem os alimentos? Como foram produzidos? Quem os produziu? Essas perguntas não importavam antigamente. Doravante e pós Covid-19 essas questões valem ouro. E produtoras e produtores rurais se transformam numa pedra preciosa, pérolas dentro das cadeias produtivas do agronegócio.

Em todas elas, desde o “a” do abacate até o “z” do zebu, companhias que compram, processam e comercializam como a Cargill, por exemplo, informam que mapearam seus fornecedores de soja. O objetivo passa a ser assegurar aos clientes globais da companhia. E o que vale para a Cargill, que responde pela venda de 11 milhões de toneladas além do processamento interno, vale para as demais, assegurar a procedência confiável livre de áreas e atos de desmatamento.

Da mesma forma supermercados europeus firmam procedimentos e exigem protocolos muito mais severos do que a própria legislação europeia e a brasileira. Conversei com Wilson Passos, diretor comercial da Fischer Frutas, que responde por cerca de 15% das exportações da maçã nacional, que me disse estar encontrando muitas restrições no acesso aos supermercados da Europa, e que começa a procurar novos mercados como a Rússia, Índia e Bangladesh, por exemplo.

Da mesma forma rigores imensos já por parte da China sobre todos os frigoríficos, não só brasileiros, onde poderia haver qualquer risco de contaminação com Covid-19 das carnes. O agronegócio vai ser de um gigantesco rigor. Doravante, saúde vegetal, saúde animal, saúde ambiental e saúde humana.

Precisaremos de comunicação ética, com credibilidade e com reputação acima de qualquer suspeita para falar com consumidores mundiais. Sem comunicação e protocolos rigorosos de sanidade, o agronegócio não acessará mercados mundiais, e os produtores, o elo mais fraco das cadeias produtivas, precisam ser identificados, valorizados e protegidos.

Os bons agricultores farão toda a diferença do agro, doravante a originação vale ouro. Agricultores são a pérola dos alimentos e bebidas, de tudo o que é gerado nos campos. Saúde Brasil.

José Luiz Tejon para o Canal Rural.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here