Foto: Reprodução/Ilustração

O ministro da Saúde interino, Eduardo Pazuello, decidiu desabilitar 89 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para tratamento exclusivo de pacientes infectados com coronavírus em Mato Grosso. Além disto, o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) exige que o Estado devolva R$ 12,8 milhões à União. Vale lembrar que os leitos já estão escassos, seja na rede pública ou particular.

A desabilitação dos leitos consta no Diário Oficial da União (DOU), que circula nesta quinta-feira (18). Consta no artigo primeiro da portaria que “ficam desabilitados 89 (oitenta e nove) leitos das Unidades de Terapia Intensiva – UTI Adulto e Pediátrico Tipo II – COVID-19, dos estabelecimentos descritos no Anexo a esta Portaria”.

Além disto, ficou determinada a devolução do recurso de custeio dos leitos ora desabilitados no montante de R$ 12.816.000,00. “A Secretaria de Atenção Especializada à Saúde adotará os procedimentos junto aos Fundos Estadual e Municipais de Saúde, para a devolução dos recursos financeiros repassados, acrescidos de correção monetária prevista em lei, caso ainda não devolvidos, e a baixa nos sistemas de controle de repasse fundo a fundo do Ministério da Saúde”, diz trecho da publicação.

Perderam as UTIs unidades de Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Tangará da Serra e Sorriso.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que “os seis leitos desabilitados pelo Ministério da Saúde no Hospital Regional de Sorriso já haviam sido remanejados pelo Estado para o Hospital Regional de Sinop, que é a referência da região para os casos de Covid-19. Ficando a unidade hospitalar como referência para outras enfermidades”.

A Prefeitura de Cuiabá lembrou que, inicialmente, foram habilitadas 60 UTIs do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) para Covid. Porém, posteriormente, ficou definido que a unidade não atenderia casos de coronavírus. Ainda conforme o município, foi feito um informe oficial à União, o dinheiro permanece em caixa e a devolução será feita.

Dos 7.361 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 4.125 estão em isolamento domiciliar e 2.618 estão recuperados. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 190 internações em UTI e 171 em enfermaria. Isto é, a taxa de ocupação está em 76,6% para UTIs e em 21% para enfermarias.

A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para o tratamento de pacientes com o novo coronavírus (Covid-19) em hospitais particulares de Mato Grosso chegou aos 89% nesta terça-feira (16). O número foi confirmado pelo Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso (Sindessmat).

Uma reportagem veiculada pela Folhapress nesta quinta-feira (18), escrita pelos jornalistas Marcelo Toledo, Cláudia Collucci e Katna Baran, alerta para a lotação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) e provável colapso do sistema de saúde em Mato Grosso. A matéria afirma que o estado pode ‘virar um novo Amazonas’.

Olhar Direto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here