A hanseníase é uma doença difícil de ser identificada e que cresce muito no Brasil. — Foto: TVCA/Reprodução

A Organização Mundial da Saúde (OMS) coloca o Brasil no segundo lugar no mundo em casos de hanseníase. Entre 1999 e 2018, foram diagnosticados 768.215 casos da doença, no país. Neste período, Mato Grosso registrou 63.779 notificações, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados na sexta-feira (31).

O número de casos em Mato Grosso representa 8,3% do total de registros no Brasil. É o estado com maior notificações de hanseníase na região Centro-Oeste. Em nível nacional, ocupa a terceira colocação, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Apesar de ser uma doença bastante conhecida, os números só aumentaram ao longo de 20 anos. Em 1999, foram registrados 3.216 novos casos, em Mato Grosso. Em 2016, esse dado baixou para 2.665. Entretanto, os registros se elevaram consideravelmente. Foram 3.452 notificações, em 2017, e 4.678, em 2018.

Em nível nacional, os dados oscilam, hora para mais, hora para menos. Em 2000, foram registrados 25,44 casos a cada 100 mil habitantes. Em 2016, 12,23 casos a cada 100 mil habitantes. Posteriormente, os indicadores apresentaram alta. Foram 12,94 notificações, em 2017, e 13,70, em 2018.

Por G1 MT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here