O PSDB tem plenas condições de indicar um potencial candidato a vice-governador numa eventual chapa do governador Mauro Mendes (DEM) na disputa à reeleição em 2022. Ainda disse que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) tem que prosseguir no mandato para evitar qualquer frustração ao povo cuiabano.

Essa é a avaliação do deputado estadual Wilson Santos (PSDB) a respeito do quadro político partidário em Mato Grosso. A declaração foi dada na manhã desta quinta-feira (15) em entrevista a Radio Villa Real.

O parlamentar diz que o ex-prefeito de Cáceres (217 km de Cuiabá), empresário Francis Maris, e o atual prefeito de Sorriso (397 km de Cuiabá) que exerce o segundo mandato, Ari Lafin, como agentes políticos com viabilidade para compor uma chapa majoritária.

“O Francis Maris foi um ótimo prefeito em Cáceres. Avançou em áreas essenciais e pode contribuir muito com a administração estadual diante do seu olhar estratégico para o desenvolvimento. O mesmo eu digo do prefeito Ari Lafin, uma revelação da política de Mato Grosso que conta com boa aceitação no município e tem alta capacidade administrativa e habilidade política. Mas, tudo será discutido mais a frente”, disse.

Nacionalmente, o PSDB realizará ainda este ano uma prévia para a escolha do candidato à Presidência da República. Estarão na disputa os governadores João Doria (São Paulo) e Eduardo Leite (Rio Grande do Sul) e o senador pelo Ceará Tasso Jereissati.

A partir desta definição, começará as articulações para alianças política partidária nos Estados.

Conselho a Emanuel Pinheiro

Questionado a respeito da possibilidade do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) renunciar a Prefeitura de Cuiabá para disputar o governo do Estado nas eleições de 2022, o deputado Wilson Santos, que viveu a experiência de interromper um mandato à frente do Palácio Alencastro para disputar o Palácio Paiaguás nas eleições de 2010, recomenda ao medebista que permaneça até o fim do mandato para o qual foi reeleito em 2020.

“Aconselho o prefeito Emanuel Pinheiro a exercer o mandato até o fim. Falo com propriedade porque cometi esse erro. Mesmo com um mandato bem avaliado renunciei ao cargo de prefeito de Cuiabá para disputar o governo do Estado. É um privilégio ser prefeito de Cuiabá. Emanuel, cumpra seu mandato e vá até o final”, comentou.

Autor: A Gazeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here